top of page
  • Foto do escritorClare

Acessibilidade: como projetar uma rampa

Atualizado: 23 de mai. de 2021


Segundo a Lei nº 13.146/2015 acessibilidade é a “possibilidade e condição de alcance para utilização, com segurança e autonomia, de espaços, mobiliários, equipamentos urbanos, edificações, transportes, informação e comunicação, inclusive seus sistemas e tecnologias, bem como de outros serviços e instalações abertos ao público, de uso público ou privados de uso coletivo, tanto na zona urbana como na rural, por pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida“.


A acessibilidade permite que pessoas portadoras de necessidades especiais sejam incluídas no convívio social, possibilitando que elas participem de atividades, visando a sua adaptação, locomoção, segurança e conforto. Existindo normativas que determinam diretrizes para que a acessibilidade ocorra de forma correta e segura para todos os usuários. A NBR 9050:2015 - Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos estabelece critérios e parâmetros técnicos a serem observados em relação ao projeto, construção, instalação e adaptação tanto do meio urbano como o rural, para oferecer condições de acessibilidade.


Esta norma possui critérios de sinalização em espaços públicos, parâmetros de ergonomia para mobiliários e equipamentos urbanos, intervenções em bens tombados pelo patrimônio histórico, além de abranger a abordagem para pessoas com dificuldades para se locomover, como obesos, idosos e gestantes, seguindo o conceito de desenho universal, assegurando a acessibilidade à todos. No Blog de hoje, falaremos de rampas, que são sempre um empecilho na hora de projeto. Por isso, vamos falar de forma resumida e simplificada os critérios de projeto de rampas.


Inicialmente, devemos calcular a inclinação da Rampa através da equação:


i= (h x 100)/c


i – inclinação, expressa em porcentagem h – altura do desnível c – comprimento da projeção horizontal

FONTE:  ABNT NBR 9050:2015
DIMENSIONAMENTO DAS RAMPAS (ABNT NBR 9050:2015)
  • As rampas devem ter inclinação entre 6,25 % e 8,33 %, é recomendado criar áreas de descanso nos patamares, a cada 50 m de percurso. Enquanto em reformas a inclinação pode ser entre 8,33 % até 12,5 %.

  • Para rampas em curva, a inclinação máxima admissível é de 8,33 % e o raio mínimo de 3,00 m, medido no perímetro interno à curva.

PLANTA RAMPA EM CURVA (ABNT NBR 9050:2015)
  • A inclinação transversal não pode exceder 2 % em rampas internas e 3 % em rampas externas.

  • A largura das rampas (L) deve ser estabelecida de acordo com o fluxo de pessoas.

  • A largura livre mínima recomendável para as rampas em rotas acessíveis é de 1,50 m, sendo o mínimo admissível de 1,20 m.

  • Toda rampa deve possuir corrimão de duas alturas em cada lado e ter guia de balizamento com altura mínima de 5 cm, conforme ilustrado abaixo.

GUIA DE BALIZAMENTO (ABNT NBR 9050:2015)
  • Os patamares no início e no término das rampas devem ter dimensão longitudinal mínima de 1,20 m. Entre os segmentos de rampa devem ser previstos patamares intermediários com dimensão longitudinal mínima de 1,20 m.

  • Os patamares situados em mudanças de direção devem ter dimensões iguais à largura da rampa.

PATAMARES DAS RAMPAS - VISTA SUPERIOR (ABNT NBR 9050:2015)

Através da acessibilidade garantimos segurança e integridade física de pessoas com necessidades especiais, garantindo o direito de ir e vir, além de usufruir ambientes. Ela deve ser expandida para vários campos da sociedade garantindo que estas pessoas tenham acesso a várias formas de serviços, melhorando sua qualidade de vida e integração, a acessibilidade é uma ideia que deve ser expandida.




Mande suas dúvidas e assuntos de interesse para contato@clarearquitetura.com, ficaremos felizes e tentaremos ajudar o mais rápido possível.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page